Depois da assinatura do Armistício com a França a 22 de Junho de 1940, a Alemanha já só tinha pela frente a ilha-nação britânica, e o seu indomável Primeiro-Ministro Winston Churchill. Com o destino da Europa nas mãos, este impediu que a Grã-Bretanha vacilasse, e lançou-a em mais um combate em que os principais combatentes iriam ser as gloriosas máquinas voadoras que nem 40 anos antes tinham pulado do chão, desta vez predominantemente na forma dos caças Spitfire e Messerschmitt Bf 109E. Embora as diferenças entre um Spitfire e um Me109 em performance e manobrabilidade fossem marginais, estas eram em combate sempre ultrapassadas pelas considerações tácticas: que lado é que avistava o outro primeiro, quem é que tinha a vantagem do Sol, altitude, quantidade de aviões naquele local e momento, habilidade dos pilotos, coordenação tactica, combustível, etc. Todas estas considerações fizeram da Batalha de Inglaterra única no seu género em toda a Segunda Grande Guerra Mundial.

Com base no sucesso do RAF, o seu autor, John H. Butterfield, foi ao longo dos anos considerando a hipótese de o re-editar, até que em 2009 pela mão da Decision Games apareceu finalmente a nova versão: RAF: The Battle of Britain 1940. Este jogo não é um único jogo, mas sim 3 jogos numa única caixa, analisando-se hoje o jogo RAF: Lion, que é o re-desenho e sucessor directo do seu predecessor, RAF, sendo também um jogo solitário, em que o jogador toma conta do Comando de Caças que lutam sobre o Sul da Inglaterra contra os raides diários e constantes da Luftwaffe, controlados pelo sistema de jogo.

Para o RAF:Lion utiliza-se o mapa (22″ x 34″ – 55,88cm x 86,36cm) que à semelhança do seu progenitor mostra o Sul da Inglaterra e coloca a costa Sul de Inglaterra no topo do mapa, com várias tabelas e caixas para counters espalhadas à sua volta. Estão marcadas no mapa as zonas de patrulha de cada grupo de caças, bem como a divisão entre os dois comandos da Força Aérea Alemã (Luftflotte 2 e 3), e o limite do raio de acção dos Me109s. Uma das principais caixas é o calendário onde se demarca o avançar dos dis, e o relógio que controla o avançar das horas ao longo de um dia de raides.

É mais fácil olhar para este jogo por comparação com o seu predecessor. Tal como este a acção desenrola-se ao longo de um dia e das decisões que tomamos ao longo desse dia: que esquadrilhas colocamos a patrulhar que zona, e quais as esquadrilhas é que seleccionamos para interceptar que raide. No entanto as alterações são muitas e amiúde com um limar de arestas em torno de muitas das regras e algumas alterações ligeiras, trazendo o jogo para o século XXI.

Continuamos a sentir aquele pang no estomâgo em cada virar de carta e em cada lançamento dos dados, sentindo-se uma maior atenção ao sistema de atrito que se começa a fazer sentir muito mais cedo e que mais rápidamente entra em espiral, de onde parece ser mais dificil de escapar.

Uma das maiores alterações é que as costas do deck de alvos nos indica uma de três zonas possiveis de alvo. E antes de tomarmos a nossa decisão de distribuição de CAPs (Combat Air Patrols – Patrulhas de Combate Aéreo) pelas nossas esquadrilhas temos a possibilidade de saber quais as duas próximas cartas alvo e tomarmos decisões baseado nisto. Este facto espelha a quantidade de informações que nos chegam da França ocupada, dadas pelos incipientes movimentos de Resistência no continente, que observavam as actividades frenéticas nos aérodromos alemães e com base nisso se tinha uma idéia imprecisa das próximas áreas passiveis  de serem alvo de raides. Por muito imprecisas que estas informações fossem, foram de extrema importância e este mecanismo torna-se extremamente útil para nós quando estamos a planear a disposição dos CAPs.

Às 3 Fases do jogo original, junta-se uma nova subfase, no final do avanço do relógio (0, 1 ou 2 horas). Sempre que este avança, e dependendo da quantidade de horas que passam entre um raide e outro, assim teremos mais tempo para re-armar e reabastecer as nossas esquadrilhas, possibilitando o regresso de mais caças à linha da frente. O reverso da medalha é que quanto mais avança o relógio também a aviação alemã de caças mais tempo terá para reabastecimento e re-armamento. Se por um lado queremos que o relógio avance de duas em duas horas para que sejam menos raides nesse dia, por outro lado esse avanço também fará com que um novo raide alemão seja maior, com maior quantidade de aeronaves de protecção e de caça.

Uma das outras diferenças passa também por termos uma divisão atmosférica Este/Oeste, ou seja pode estar o céu encoberto de nuvens na zona Oeste, e termos um céu límpido na zona Este.

Para quem já jogou o original ou para quem não o conhece, RAF: Lion (um dos três jogos incluídos no RAF: The Battle of Britain 1940) é um wargame solitário a não perder. Com um grafismo mais recente, uma limpeza de regras e inclusão de pequenas variações que o fazem voltar uma e outra vez à nossa mesa.

Este artigo foi publicado originalmente no TuJogas

Caixa do jogo

4

Apresentação

4

Componentes

4

Grafismo

4

Tema

4

Objectivo

4

Livro de Regras

5

Preparação

4

Começar a jogar

3

Mecânica

4

Jogabilidade

4

Interacção

1

Estratégia

4

Dificuldade

4

Duração

3

Diversão

4

Originalidade

5

Preço

5

Valor vs Dinheiro

4

O meu Gut Feeling

5

Total

79

As restantes Sagas:

Anúncios